ads

Slider[Style1]

tecnologia

Jogos

Música

Cinema

Android

eventos

A série “Game of Thrones”, do canal por assinatura HBO, bateu recorde de pirataria após a estreia da sua terceira temporada realizada no último domingo.Mas sabe-se que isso não é novidade, levando em conta o total de download que o episódio final da segunda temporada obteve.


De acordo com o site TorrentFreak, mais de 1 milhão de espectadores baixaram o primeiro episódio um dia após sua estreia por meio do programa BitTorrent.

Em determinado momento havia mais de 163.000 pessoas compartilhando simultaneamente o mesmo arquivo torrente da série. Segundo o site, se trata de um novo recorde.

O recorde anterior pertencia à estreia da terceira temporada da série “Heroes”, em 2008, quando atingiu 145.000 compartilhamentos simultâneos.

Mas a alta procura pelos episódios da série “Game of Thrones” não chega a ser uma surpresa. Em 2012 o site TorrentFreak apontou o seriado como o mais pirateado do ano. O episódio final da última temporada foi baixado por 4,3 milhões de pessoas.

Segundo o TorrentFreak, Londres é a cidade que mais registrou downloads ilegais do episódio de estreia, enquanto o país com maior quantidade de downloads foi os Estados Unidos, seguido por Reino Unido e Austrália.

Mas embora os grandes estúdios de Hollywood mostrem preocupação com a quantidade de downloads ilegais, a HBO não parece se preocupar com isto.

Em declaração ao site "Entertainment Weekly", o diretor de programação da HBO, Michael Lombardo, descreveu a pirataria do seriado como "um elogio". "Eu provavelmente não deveria dizer isso, mas é uma forma de elogio. A demanda está lá. E certamente não houve impacto negativo nas vendas de DVD. A pirataria é algo que acompanha um seriado de grande sucesso em um canal por assinatura", afirmou o executivo.

Lombardo afirmou ainda que o HBO tem como política barrar a pirataria "sistemática", quando alguém está ganhando dinheiro com as cópias não autorizadas, mas que o canal não perseguiu internautas individuais que baixaram a série. "Somos um serviço por assinatura, então de modo geral tentamos para a pirataria quando vemos ela acontecendo, especialmente quando acontece de maneira sistemática, com pessoas que tentam vender as versões piratas", disse.

O executivo também se preocupa com a qualidade de vídeo das versões pirateadas. Segundo ele, o seriado tem um alto cuidado com a produção, que pode passar despercebido em algumas das versões disponíveis na internet.


Fonte: G1

POSTADO POR - Guilherme J Cabral

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

COMENTE


Topo