ads

Slider[Style1]

tecnologia

Jogos

Música

Cinema

Android

eventos



A intel anuncia seu novo processador topo de linha, que por algum tempo será o sonho de muitos aficcionados por computadores "Extremos", além de mais dois modelos, em uma nova arquitetura chamada "Ivy Bridge-E". 
 
A arquitetura Ivy Bridge foi introduzida pela Intel no ano passado com o Core i7-3770K e diversos outros modelos de processadores direcionados a públicos diferentes, já o novo Ivy Bridge-E é um melhoramento da mesma, mas com foco totalmente diferente, que chega para substituir o Sandy Bridge-E, que permaneceu como plataforma desktop “extrema” da Intel por quase dois anos com os modelos Core i7 3960X e Core i7 3970X(que chegou um bom tempo depois).

Uma das principais diferenças do Ivy Bridge-E para o Ivy Bridge tradicional é a ausência total de GPU dentro do processador(com certeza você vai precisar de uma placa de vídeo dedicada). No lugar do acelerador gráfico, a Intel tratou de adicionar mais dois núcleos e mais cache. Desse modo, chegamos aos seis núcleos do Core i7-4960X. Outra novidade do processador é o suporte nativo à memória DDR3-1866, fazendo com que o pico teórico de memória seja de 59,7 GB/s através de quatro canais simultâneos.

O novo processador também traz suporte nativo à interface PCI Express 3.0, ou seja, as 40 linhas PCI Express suportadas pelo processador permitem a ligação de até quatro GPUs independentes em modo SLI.

Os novos processadores Ivy Bridge-E são construídos com a litografia de 22 nm (assim como a nova arquitetura Haswell). Com um TDP de 130 watts, temos um processador bastante eficiente para a realização de overclocks. Aliás, essa é outra característica importante do processador: o Core i7-4960X possui o clock destravado.



Mais um ponto importantes da arquitetura Ivy Bridge-E é a compatibilidade com o chipset Intel X79, algo que traz aspectos positivos e negativos. A principal vantagem é que os novos processadores dessa arquitetura utilizam o soquete Intel 2011, o que significa que até mesmo placas mais antigas podem receber o novo processador, necessitando apenas de uma atualização de Bios.

Entre as desvantagens listadas pelos especialistas está o fato de que o X79 é um chipset já um pouco antigo, que não traz suporte nativo ao USB 3.0 e suporta apenas SATA 6 GB/s.
 
Com a tecnologia Ivy Bridge-E, a Intel está lançando três modelos de processadores diferentes. Dois deles possuem seis e um possui quatro núcleos e os clocks destravados, sendo o Core i7-4960X o mais poderoso de todos e o novo topo de linha da Intel.

O clock base do Core i7-4960X é de 3,6 GHz, mas esse número pode chegar a 4 GHz através do recurso Turbo Boost. A CPU possui seis núcleos físicos, mas, com a tecnologia Hyper Threading da Intel, ela pode realizar até 12 processos simultaneamente, já que o sistema operacional enxerga 12 núcleos lógicos. O processador também possui um cache L3 de 15 MB e suporta memória DDR3 1.866 MHz em modo quad channel.



O modelo chega para substituir o Core i7-3970X, a CPU mais poderosa da Intel até então, que também utiliza o soquete 2011, e é baseada na arquitetura Sandy Bridge-E, uma variação do Sandy Bridge tradicional lançado em 2011.

O preço sugerido para o Core i7-4960X é de US$ 990 (cerca de R$ 2.350, sem impostos). Os outros modelos são um pouco mais em conta. Para o I7-4930K, você precisará desembolsar US$ 555 (cerca de R$ 1.317, sem impostos). Já para o caçula da família, o i7-4820K, que possui apenas quatro núcleos, o preço é de US$ 310 (cerca de R$ 735, sem impostos) — quase o mesmo preço do Core i7-4770K.

De acordo com o Tom’s Hardware, parece que teremos que esperar até que a linha Haswell-E chegue ao mercado para ver processadores para entusiastas com oito núcleos físicos. Apesar de o processador apresentar resultados satisfatórios, dificilmente alguém que tenha um Core i7-3960X vai optar pela troca de processador, já que o aumento de desempenho não chega à casa dos dois dígitos. O principal problema é a utilização do já datado chipset X79, que já está no mercado há dois anos e não traz suporte nativo ao USB 3.0.

Entretanto, se os entusiastas não se sentirem motivados a um upgrade, existe uma categoria que deve amar essa nova arquitetura: são os segmentos de servidores e estações de trabalho. Apesar de o desempenho não ser gritante em relação à geração anterior, o Ivy Bridge-E é incrivelmente mais eficiente que o seu antecessor, principalmente no que diz respeito ao consumo energético e geração de calor.

De acordo com os analistas do Guru3D, a noção de poder ao ver um novo processador Intel está cada vez mais difícil de perceber, já que os novos modelos não apresentam um ganho de desempenho tão grande de um para o outro e não justificam o investimento de milhares de dólares em uma nova CPU.

Comparação dos Principais Processadores da Atualidade e de Gerações Anteriores

Apesar disso, uma máquina montada com um processador Intel Core i7-4960X utilizando quatro canais de memória não deixa de ser impressionante e ridiculamente rápida. Apesar de o chipset X79 ser um pouco datado, ele é perfeitamente capaz de fornecer o suporte que a nova arquitetura precisa.

Segundo o Techspot, o desempenho prometido pela Intel em relação ao i7-3960X é de 10% para modelagem 3D, 7% para jogos, 5% para análise de dados e até 4% superior nas tarefas do dia a dia. A empresa cumpriu o que prometeu, e o resultado pode ser percebido durante os testes. Porém, o i7-4960X teve um aumento de 9% no clock. Desse modo, qual foi o incremento real proporcionado pela nova arquitetura?
 
Em todo caso, se você está querendo montar um computador com o melhor que existe atualmente, é ele que você deve usar, o novo Core i7-4960X !
 


Fonte: Tecmundo

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

COMENTE


Topo